segunda-feira, 10 de junho de 2013

EM BUSCA DA LIBERDADE






       Naquele dia morria o maior líder negro do Brasil e junto com ele morriam as esperanças dos escravos por liberdade. A noticia se espalhou rapidamente por toda parte.

       Muitos ainda acreditavam que ele estava vivo, que era apenas invenção dos brancos para tentar impedir que as fugas rumo aos Quilombos continuassem, outros ainda acreditaram que Zumbi talvez nem tivesse existido e tratava-se apenas de uma lenda.

Lenda ou não, Zumbi fortalecia a esperança dos escravos de um dia ter fim todo o seu sofrimento.

       A vida dos escravos era triste, um dos maiores seguidores de Zumbi era Dito, tratava de um legítimo príncipe  acabou sendo capturado e levado para o Brasil.

Ele tinha uma vida tranqüila, vivia da caça e da pesca, morava em uma aldeia em Angola, como de costume, por ser o filho mais novo deveria aguardar o casamento de seu irmão Quiloa para poder se casar, mas por ironia do destino, Dito se apaixonou por Zébia, a prometida de seu irmão, Zébia correspondia a seu amor, mas não podia ficar com ele devido aos costumes da aldeia. No dia da cerimônia que juntavam Quiloa e Zébia, Dito surge de repente e rouba a esposa de seu próprio irmão, jurado de morte ele foge para outra aldeia mais próxima ao litoral, mal sabia ele que estava os levando para sua própria desgraça.

Os portugueses chegaram, em número maior e com muito mais recursos capturaram todos os habitantes daquela aldeia, Dito e Zébia foram jogados no porão do navio como se fossem sacos de areia, amontoados com outras pessoas, jovens, crianças, mulheres, todos juntos, ele mal podia imaginar o porque de tanta crueldade, muitos morreram na viagem e ao chegar ao Brasil, foram obrigados a aprender seus costumes e sua língua, ao mesmo tempo em que sua vida mudara drasticamente acabou separando-se de sua amada Zébia, estaria ele condenado a nunca mais reencontrar a mulher que amava, sua única esperança era fugir, aliar-se a Zumbi e a sua causa, mas agora tudo era mais difícil, seu líder havia sucumbido antes mesmo que Benedito (assim era seu novo nome ou “dito” como todos o chamavam) pudesse conhecê-lo.

      Trabalhava na fazenda de um dos mais nobres fazendeiros do Rio de Janeiro o Barão Dom Henrique Moraes, mas era perceptível a todos que não se tratava de um simples escravo como os outros, ele era mesmo diferente, tinha conhecimento, parecia até ter estudo.

      Dom Henrique percebeu com o tempo que poderia aproveitá-lo em outros lugares além do engenho o tempo foi passando e mesmo sem perceber Dom Henrique tornava-se cada vez mais confiante em relação ao escravo e pela primeira vez em sua vida começara a manter um sentimento de amizade com um negro.

      Esta relação de amizade provocou muita inveja e discussão aos nobres amigos de Dom Henrique e seus empregados, capatazes e capitães-do-mato sentiam que cada vez mais estavam perdendo espaço para Dito e isso teria que ter um fim - antes que os negros dominem os brancos temos que acabar com a vida deste negro – diziam. Já pelo lado de Dito os outros escravos o tratavam como um traidor – como ele pôde ter se voltado contra sua própria raça – diziam.

      No começo Dito fingia ser fiel a Dom Henrique na esperança de fugir na primeira chance, mas a convivência fez Dito perceber que por traz daquela máscara que a sociedade lhe impôs, Dom Henrique havia conservado algo de bom em seu coração, Muitos anos depois, Dito contou-lhe sua historia e Dom Henrique ficou tão comovido que lhe prometeu encontrar Zébia.

      O maior sonho de Dito era reencontrar seu amor e formar um quilombo, Dom Henrique tinha duas pistas para tentar cumprir a promessa feita a Dito. No dia em que o navio que trouxe Dito chegou, uma grande parte dos escravos foi levada para o Rio de Janeiro e foi quando os dois se separaram depois foram vendidos para 3 compradores: o 1º servia a Dom Henrique, o 2º servia ao coronel Herculano e o 3º chamava-se João Pedro e vivia em Minas Gerais.

     Então se Zébia estivesse viva, havia uma chance de estar ou no Rio de Janeiro servindo ao coronel Herculano ou em Belo Horizonte servindo a João Pedro, a chance era mínima, mas Dito não perdia a esperança, ele não queria que a morte de Zumbi fosse em vão, porém sua amizade com Dom Henrique estava por um triz...

     O coronel Herculano era apaixonado por Marieta Moraes, esposa de Dom Henrique que por sua vez correspondia ao coronel mantendo um romance secreto e traindo seu marido.

    Dom Henrique manda Dito até a casa do coronel Herculano para enviar-lhe um convite para jantar em sua casa, Dom Henrique tinha o intuito de tentar descobrir o paradeiro de Zébia, porém Dito acaba surpreendendo os amantes Marieta e Herculano e descobre a traição, antes que pudesse voltar acaba sendo capturado pelos capangas do coronel que junto com Marieta montam um esquema para colocar um fim nessa amizade.

      Marieta chega em sua casa toda rasgada e arranhada dizendo que Dito havia tentado violentá-la e que o coronel a havia salvado. Em seguida Herculano surge pessoalmente trazendo consigo o escravo.

      Diante das evidencias, Dom Henrique não tinha outra opção a não ser condená-lo a morte. A honra de Dom Henrique estava em jogo pensou no erro que poderia ter cometido ao confiar em um escravo, um ingrato que em troca de sua amizade o traiu colocando em risco a vida de sua esposa em nome de sua honra resolve matar-lhe pessoalmente.

      Diante da situação, Dito não tinha o que fazer frente a frente com Dom Henrique que apontava uma arma para sua cabeça. Então Dito olha em seus olhos e diz – você pode até me matar mais saiba que eu nunca traí sua amizade! Dom Henrique olha nos olhos do escravo e sente a sinceridade em suas palavras, então o leva a um local afastado da fazenda dizendo-lhe que acreditava em suas palavras, mas que perderia todos seu prestígio se o deixasse viver então permitiu que Dito fugisse pela mata, mas alertando que em seguida mandaria seus capangas para capturá-lo.

     Dito tinha que fugir o mais depressa possível, mas seu destino não podia ser outro que não fosse a casa do coronel, afinal havia uma chance de Zébia estar viva e trabalhando lá.

No caminho, porém ele foi surpreendido por outros negros que o levaram para dentro da mata, algumas horas depois Dito descobriu seu destino, tratava-se de um grupo de negros que fugitivos que se juntaram para tentar formar uma resistência contra Dom Henrique, os negros resolveram levar Dito, que era o mais novo membro salvo até o seu líder. Ele era alto e forte, todos o olhavam com respeito e admiração, ele tinha muitas marcas no corpo e cicatrizes, Dito o observava enquanto ele se aproximava, mas ao chegar bem perto, os dois se olharam e se reconheceram, o homem tratava-se de Quiloa, o irmão que Dito roubara a esposa a muitos anos atrás, imediatamente Quiloa partiu para cima de Dito e lhe acertou o rosto, Dito tentou fugir e os dois saíram rolando ribanceira a baixo até chegarem a beira de um precipício, Quiloa conseguiu se segurar antes, mas Dito foi rolando e por pouco não caiu agarrando-se em um tronco de árvore ficou preso suspenso no ar, Quiloa chegou bem perto de seu irmão traidor, era sua chance de se vingar. Dito então pede perdão.

- Me perdoe meu irmão, mas foi mais forte que eu, não podia deixar que ela ficasse com você, agora ela corre perigo, preciso de sua ajuda para encontrá-la, acredito que ela ainda esteja viva.

Quiloa então segura Dito e o ajuda a subir novamente. A traição de Dito ainda na estava perdoada, mas agora tinham que lutar por um objetivo maior, a liberdade de Zébia.

     Antes de retornar para a fazenda, Dom Henrique é surpreendido pelos homens do coronel, tenta reagir sem sucesso e é levado a julgamento...

     ­– Eu, Herculano Versalhes na qualidade de coronel coloco-me a disposição para depor contra o acusado, Barão Dom Henrique Moraes e estando presente aqui hoje o juiz João Pedro que veio das Minas Gerais a negócios eu o convoco para dar início à sessão!

     – A acusação, Meritíssimo Juiz! – completa o coronel – ele ordenou que seu escravo assassinasse sua esposa Marieta e arquitetou o plano de fuga ao escravo incentivando os negros a fugirem para os quilombos que mesmo com a morte de Zumbi continuam a existir.

– Então a acusação é tentativa de assassinato e crime contra a coroa!

– E qual a pena?

– A morte.

     Dom Henrique tentou reagir, mas acabou sofrendo uma pancada na cabeça e desmaiando, o coronel Herculano faz um gesto para Marieta que olha para João Pedro e sorri em agradecimento, João Pedro retribui o sorriso e pede aos soldados que levem Dom Henrique para forca...

     Longe dali, Dito prepara-se para invadir a casa do coronel que já não estava tão vigiada, pois todos se preocupavam com o julgamento de Dom Henrique. Dito consegue entrar e abrir a senzala, chamando seu povo para a libertação.

– È chegado o momento, vamos sair daqui agora!

– Você é Zumbi? Perguntou um deles

     – Não, mas como ele, sou alguém que acredita na liberdade e não vou deixar que sua morte tenha sido em vão, nem que todos nós morrêssemos agora, se um de nós escapar e puder sentir o gosto da liberdade já terá valido a pena. Eu procuro entre vocês uma mulher chamada Zébia alguém a conhece?

     Ninguém responde, o silêncio permanece até que os capangas do coronel aparecem e o confronto se inicia, uma luta difícil vencida pelos escravos, agora Dito tinha pessoas a seu favor e o seu destino era retornar a fazenda de Dom Henrique.

     Chegaram no momento de sua morte, Dito queria salvar seu amigo mas Quiloa não iria permitir, arriscar a vida dos negros para salvar um branco que os mantinha presos, isso com certeza estava longe dos planos de Quiloa, ele só tinha ódio no seu coração e queria vingança, queria que todos os brancos morressem, não importando se eram bons ou não.

 

 

 

 

 

 

 fogem para a pensão onde João Pedro estava hospedado, invadindo o quarto do juiz, e tomando seu filho como refém quando a babá entra no quarto e Dito a vê, a surpresa, tratava-se de ébia, sua mulher que a muito procurava, os dois se abraçaram e de repente  um disparo, o coronel tenta acabar com a vida de Dito mas um homem coloca-se frente da bala sendo atingido no peito, tratava-se de Dom Henrique, Dito corre em seu encontro...

     – Por quê? O que você foi fazer?

     – Por você, meu único amigo que já tive, para que você tenha a chance de ter a liberdade que eu nunca tive, eu vivi preso pelos conceitos da sociedade preso por um casamento sem amor, apenas por interesses políticos e você me libertou, me fez ver o lado bom da vida e talvez tenha sido a única coisa boa que já fiz, fuja e seja feliz.

     Dito toma em seus braços seu grande amor e foge, acusado de assassinato João Pedro manda prender o coronel Herculano e alguns meses depois se casa com a viúva de Dom Henrique. Dito por sua vez forma seu quilombo na luta pela liberdade, carregando consigo a amizade que Dom Henrique lhe oferecera, a coragem que herdara de Zumbi e esperança de um dia não precisar mais fugir, a esperança de haver um mundo mais igual onde brancos e negros pudessem viver em harmonia.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

COMO MANTER UM CASAMENTO

   
 
 
Para se manter um casamento, é preciso tomar alguns cuidados, isso vale para os dois lados, tanto masculino, quanto feminino. Sabendo que o casamento é uma entrega onde ambos devem doar-se e abrir mão de certos "privilégios de solteiro" para viver uma vida a dois, mesmo que desagrade em alguns aspectos, se forem seguidos, essas dicas irão ajudar muito, segue:
 
PARA OS HOMENS:
 Você sempre está errado e ela certa, mesmo que ela faça a mesma coisa que você fez em outra ocasião, ainda assim ela estará certa, a menos que ela assuma que está errada, nesse caso, você deverá assumir a culpa pelos dois, repare sempre nas mudanças, desde a cor do cabelo até a mudança do adesivo das unhas, caso não perceba nada, elogie mesmo assim.
 
PARA AS MULHERES
Nunca tente conversar na hora do jogo, mesmo que não seja do time dele, a menos que você entenda de futebol e comente algo sobre o jogo, a desorganização faz parte de um ciclo onde você arruma e ele bagunça e  o videogame é sagrado !!!!!!!

 

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

KAIZEN




Kaizen (do japonês , mudança para melhor) é uma palavra de origem japonesa com o significado de melhoria contínua, seja na sua vida pessoal, familiar, social e no trabalho).
O lema é “hoje melhor do que ontem, amanhã melhor do que hoje”
Trata-se de uma filosofia de vida oriental utilizada pelas melhores empresas do mundo no que se refere a qualidade assegurada.

O tão famoso Sistema Toyota de Produção estudado por várias faculdades e empresas pelo mundo utiliza o Kaizen como sua filosofia tornando-se uma empresa modelo no sistema de produção.
Porém essa filosofia deveria ser estendida para nossa vida fora das organizações em que trabalhamos. A melhoria contínua só tem um objetivo que é a PERFEIÇÃO, mas será que é possível atingir a perfeição? Será que existe alguém que se considera perfeito? A resposta é simples e todos nós sabemos: NÃO, nem um de nós é perfeito, assim como nenhuma empresa e nenhum processo, todos temos falhas é por isso que o Kaizen é tão importante, pois se não existe ninguém perfeito, então sempre existirá o que melhorar e é ai que enfrentamos a primeira barreira, pois muitos de nós não conseguimos enxergar nossas falhas e existem dois fatores que impedem que o Kaizen funcione efetivamente: Comodismo e Pessimismo; comodismo, quando entramos em uma zona de conforto e acreditamos que não há mais o que melhorar e pessimismo é quando percebemos que precisa ser melhorado, mas nos julgamos incapazes de fazê-lo, ora se não há mais o que melhorar e se já foi feito tudo o que poderia ter sido feito, então não há mais sentido para se viver.
Pense, o que você tem feito para melhorar seu ambiente de trabalho? O que você tem feito para melhorar seu casamento, o que você tem feito para melhorar sua saúde? Acredite, é possível, você pode, você consegue ! Se não estiver dando certo, peça ajuda, tente de outra maneira, mas jamais desista, pois nenhum sonho é impossível, quando eu tinha nove anos eu coloquei em minha cabeça que escreveria um livro e naquele momento muitas pessoas me disseram que era impossível, que eu jamais conseguiria, que a vida de escritor não tem futuro, outras até me apoiavam, mesmo pensando praticamente a mesma coisa, mas eu acreditei e hoje eu consegui, meu primeiro livro chama-se Segredos & Conflitos e é um sonho realizado, um orgulho para mim, mas não pensem que estou satisfeito, pois sei que ainda tenho muito o que melhorar.

Para que o Kaizen funcione é necessário disciplina e mudança de cultura, é difícil mudar certos hábitos, é mais difícil ainda manter a disciplina que encontramos nos orientais, em especial nos japoneses, mas não é impossível, nada é impossível para aqueles que tentam.
Agora pensem nisso e a melhoria virá, no ambiente profissional e pessoal
Segue link para quem tiver curiosidade de conhecer meu primeiro trabalho:

http://www.clubedeautores.com.br/book/39439--SEGREDOS__CONFLITOS

Caros Amigos

Oi, o meu objetivo ao criar esse blog é na verdade, reunir e divulgar minhas poesias e contos de uma forma que as pessoas possam conhecer um pouco mais do meu sonho de ser escritor.
Bom, espero que gostem e divirtam-se...

Postagens populares